Bernardo Dolabella

Por que devemos falar de Saúde Mental?

A expressão “Saúde Mental” é geralmente entendida como um sinônimo direto para sofrimento ou transtorno mental, uma condição que afeta o humor, pensamento ou comportamento de forma negativa. Entretanto, não podemos nos limitar a entender a palavra “saúde” como sinônimo de doença. O conceito de Saúde Mental pode, e deve ser entendido de maneira mais ampla.

Saúde Mental é um termo que comporta inúmeras definições. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define como um “estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse rotineiro, ser produtivo e contribuir com a sua comunidade.” Tal definição aponta que a necessidade de cuidados com a saúde mental não deve ser de exclusividade de pessoas com algum tipo de transtorno ou outro diagnóstico definido. A busca por uma mente sã deve fazer parte dos esforços de todos nós.

Nossa sociedade tende a buscar principalmente pela saúde física, sem dar muita importância para a saúde da mente. Uma dor ou desconforto físico quando persistente é geralmente investigado e consequentemente tratado. A dificuldade de entender os sinais relacionados a sofrimentos emocionais contribui para que os mesmos sejam deixados de lado, mesmo quando se arrastam por anos e se agravam com o tempo.

Falta não só o conhecimento suficiente para percebermos a perpetuação e o agravamento da situação, como a coragem para admitirmos que existe ali um sofrimento instaurado. E não me refiro ao conhecimento em um sentido puramente teórico. Falta-nos o conhecimento sobre nós mesmos, sobre nossas emoções e sentimentos. O medo de olharmos para nosso interior vem muitas vezes de uma incapacidade de lidar com o que sabemos que vamos encontrar, e, por isso, todo o resto é negligenciado.

É possível perceber que atualmente preocupa-se mais com a saúde mental, mas ainda existe um grande estigma ao se falar sobre o assunto. Mesmo nos casos onde a pessoa percebe um prejuízo em sua saúde mental, a busca por ajuda ainda enfrenta resistência considerável.

Admitir a existência de problemas e de limites não é de forma alguma admitir fraqueza ou incapacidade. Todos estamos sujeitos a ter que lidar com uma carga maior do que podemos lidar sozinhos, não importando a força que temos ou que achamos ter. Nestes momentos, ajuda profissional pode ser o fator determinante para que o sofrimento seja trabalhado e superado. Negar ou mascarar a existência dessa dor não impede que ela sentida em sua totalidade. Não admitir a existência do sentimento apenas dificulta sua percepção e resolução.

Sua saúde mental vale mais do que a resistência ou ideias pré-concebidas. Caso perceba a existência de um sofrimento ou de questões insuportáveis, procure ajuda profissional.

Para saber mais:

http://www.who.int/mental_health/en/

http://pensesus.fiocruz.br/saude-mental

https://www.mentalhealth.gov/…/what-is-mental-he…/index.html

Bernardo Dolabella
  • Bernardo Dolabella Psicólogo
  • Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Minas Gerais (2011). Mestrado em Estudos Psicanalíticos pelo Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de Minas Gerais...

Comentários

Você precisa estar logado para escrever um comentário.

Fazer login